quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Ainda naquele jardim...



Perfume com aroma de juventude
Às vezes, desassossego
Na maioria, motivos de alegria...
Algumas gotas de amor genuíno
Minha direção, bússola do meu prazer...
Calor que extravasa
Persuade, convence, exorta
Desemboca no mar de instantes...
Agitação!
Movimentos...
Sublimes!
(Hmmmm)
Tão nossos...

Arquejam-se os sentidos...
Sem demora....
Tenho força suficiente para te observar

Cuidar de você
Te calar com um beijo...
Tocar-te, experimentar sensações

Estampar um sorriso e...
Viver ...
Simplesmente enaltecer o nosso amor!

4 comentários:

Kalye Duranki-Amon disse...

ter força pra observar...gostei muito.

tu tá que tá, hein, poeta!

corujão!

beijos!!!!

* Santiago * disse...

aaaaah, agora VOU ter q perguntar:

vocês querem...?

pura luxúria de leve, graciosamente leve...

Renan Moreira disse...

Há quase mês, um pouco mais, talvez..
Pensei e senti diante do Espelho, esbocei um sorriso que se perde no tempo e não morre antes de mim.
E cá ele resolveu ficar.
De esboço, ele virou obra prima,
do artesão, mãos macias de carinho.
No Espelho não me vi.
Mas vi o que eu sempre busquei
Ou não.
Mas o que eu sabia que um dia encontraria, estava lá.

Me tingindo sorrisos só de olhar.
E ler.

Beijo!!

Anônimo disse...

Porque parou?
Parou por quê?


joe