terça-feira, 28 de julho de 2009

mOOn.


©2007-2009 ~ealhan


Posso ver teias de aranha nos espaços dos teus dedos. Mãos que nunca mais toquei. Criam raízes da tua falta não esquecida. Na ausência de oxigenação destas noites frias de um sonho de inverno.

[ E a lua também reclama do dia seguinte...]

2 comentários:

Kalye Duranki disse...

que belo teu blog!

;-D

:***

Salve Jorge disse...

Diga a lua
DSepois dessa verdade crua
Que a necessidade sua
Jaz nua
Pela rua
Caçando raízes...