sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Musik Diktatur


(A cortina está fechada, no meio da cena , o cheiro de defumador, enquanto o personagem recita o prólogo)


“Na luz eu sou...

Na luz eu me movo”

Nota : Senhores fiéis,
Fale ao santo da mente oca somente o indispensável!

(Apagam-se as velas...)

E o que era para iluminar, alienou!


________________________________________

(Enquanto isso, na sala de aula...)


- Boa noite! Temos um novo sinônimo para
a palavra “imprescindível”! Alguém poderia arriscar? (Questiona a professora influenciada)
- Seria : “Elogio”, professora? (Aluno usando óculos escuros)
- Muito bem, Joãozinho!


Nota : Qualquer palavra diferente de “condizer” é análoga à repulsa, rejeição, baderna!

______________________________________________



Ontem eu chorava por ficar de castigo em frente à TV e falava:


- Amanhã tudo vai ser diferente !

(Hoje)

O povo agora além de cego, é surdo
E os "não" mudos são qualificados como : desestruturados!

(Lição de casa)

Liberdade de expressão
Não tem mais o mesmo significado
Foi expulsa e trancafiada no armário da imoralidade de outrem
A verdade se perde no meio da mente doentia
De um cidadão qualquer
Sim, “hum” qualquer...
Cria personagens, monta o palco, faz o circo
Sim, sozinho!
Piada é cobrar honestidade do governo
Onde a (des)graça está no próprio âmago
No CÉREBRO
Na catástrofe
Na atitude onde mulheres que pensam são julgadas como recusadas...
E homens com pensamentos contrários ao seus querem : apparescere!
Quanta ignorância! Quanta estupidez!
Perdi algum tempo improfícuo
Achando que encontraria na música
A cura para o que era vendido na televisão
Deparei com a ditadura
Conceitos sem fundamentos!
Contaminando uma legião de fanáticos

EPIDEMIA
O interesse dele é imposto de forma tão sutil
Que soa como: HUMILDADE
Fazendo do seu pensamento : uma lei!
Não passam de ofensas, provocações, ameaças
FuTICOlidades
Ainda reclama do sistema?


( Nos (des)classificados...)


Neo-Hitler procura pseudo-intelectuais lambedores de “saco”!



Sinto falta do Renato Russo...
Rückkehr, Raul!


3 comentários:

Cristal disse...

Nossa Ju,
Que língua afiada hein???
Eu não gosto de ver tanto rancor dentro de ti, nem de ninguém...
Acho que a tua criatividade e inspiração merecem ser utilizados com "coisas" que valem a pena, se é que tu me entendes...
Mas se precisavas botar pra fora...
AHHH!!! Já estou sabendo das "fofocas" sentimentais e se for verdade, muita felicidade pra vocês dois...
Nessa história já havia a Rainha e o Príncipe e agora há também o REI.
Vida longa ao trio magestoso...
De coração: tudo de bom pra vocês...
Abraço bem apertado...

radik disse...

Ju, você escreve como poucos. Ou talvez escreve com personalidade própria. A ordem das palavras, reajustadas conforme um caos que reúne sentidos, metáfora, e argumentos.
É muito gostoso ler o que você escreve, tanto pelo tema quanto pela escrita.
Se escrevêssemos apenas à sombra da alegria, morreríamos na desgraça do palhaço.

Um beijo!
E escreve mais!

Kalie Duranki-Amon disse...

Escreva mais do mundo interior da Ju..como ele é..quais são os sonhos dela..que flores moram lá..como é a paisagem..

fale-nos mais sobre a Ju!!!!!

;-)

:*****