quarta-feira, 4 de março de 2009

Nota.

Imagem : Jodie_odie_o



Sobraram-me algumas notas, algumas letras, alguns papéis rasgados, fragmentos de uma possível música. Recuso-me a desfazê-las (E deixar de recordação algumas, não muitas...)
Nunca conseguirei dar fim em alguns sons. Às vezes, há sons em sobejo, às vezes há plágio do mesmo som, às vezes, “o” som não há, mas no final é tudo música.

[ Em seguida, guardo os instrumentos e as inspirações. Troco o papel e as cordas. E começo tudo outra vez...]

2 comentários:

Anônimo disse...

Quem não me fala a meses vem me dizer que a vida é ingrata. No mesmo instante em que meu coração estremece de ódio. Da vida, da ingratidão, dessa injustiça ordinária.




joe

Fellipe disse...

Juh. Mulher muito especial, inteligente, simpática e poética. Me surpreendi com a sua gentileza e com esse seu don. Parabéns! Vou viajar nesse teu mundo, gentil. Mil Beijos!