quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

É preto no branco

Poemas não acabam com os problemas, Rô. Está bom, até ajuda , pelo menos uma boa parte deles.

Assim como bolsa família não ajuda na miséria do país, mas há quem precise dela, ou que no momento, faz-se necessária.


Hoje um ator morreu de enfisema, um global, e fico feliz, não pela morte, mas por ter deixado as cinzas do cigarro lá atrás.


Ontem, a Isa disse que precisava de um namorado. Gostaria de ter recitado pra ela Caio Fernando e ter lhe oferecido uma boa dose de whisky, também ajuda.


Ouvi falarem de estrelas que piscavam em vários tons, e depois descobri que era um pára-raio. E que fique bem claro que não seria ruim se fosse verdade, olhar pro céu e ver estrelas de todas as cores, sã.


Hoje eu estou mais agressiva, e dei-me o direito de não me contentar com pouco.

estou na TPM, e esse calor do Rio de Janeiro me enlouquece, aos poucos.


Há poucos dias, disse que não acompanharia mais o Botafogo. E ontem você e questionou, mais uma vez.


A verdade é que não estou preparada, ainda pra nada, mas eu gosto de você. E prefiro pular a parte do ficar ridiculazinha derretidinha e ser discreta, sem deixar de ser direta.


Eu sinto falta dos acentos do tem no plural entre outras coisas, reforma desgraçada. Sou isso aqui, mas também sinto falta de sentir tua falta. Não estou preparada, mas juro que um dia penso sentar ao teu lado, beber água de coco e te dar aquele beijo, sá?


                                                              Imagem : Atis.

7 comentários:

Anônimo disse...

Que lindo! Só você sabe fazer a ficção parecer real.

Dai disse...

ficção? isso não me parece ficção. revele seu segredo!
muito bom!

Anônimo disse...

E ele deve estar te esperando...

mente inconstante disse...

Saudades do recém-poetas...
Cadê os versos lindos que vc e o radik trocavam?? :)

radik disse...

hei.
Conto uma novidade no meu blog.

Sei lá, acho que volto a escrever poemas depois dessa.

Beijos

Kalie Cullen disse...

atualize, dona!

;-)

ou não rss

:***

Anônimo disse...

legal prá caralho!!

sinto saudades do acento no "pra" e nem sei se ele já existiu.. sempre sinto saudades de coisas esquisitas assim. E ainda assim, nem acredito no Chico Xavier..................................................



beijão!!