quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Anima!


Eu preciso de um beijo teu.
Do toque das tuas mãos para arrepiar a minha alma.
E que de presente, recebas este arrepio de volta.
Faça-me um carinho.
Preciso do teu colo.
Deixe-me trêmula, vibrante, louca, feliz.
Ouça meus batimentos cardíacos arrítmicos, meu respirar ofegante, meus poros umedecidos, mas deixe a minha alma aqui.
Eu não sou dona dela.
Jogue a chave fora.
E tente não olhar para trás.

Um comentário:

radik disse...

Preciso de bastante do que escrevestes.
Ou apenas desejo.

Mas é o que falta por horas.

Beijo