segunda-feira, 29 de março de 2010

31/26 é pouco, muito pouco!

Os princípios sentem pena. Os vocábulos não conseguem sair. Resolveram então pegar papel, massa, molde e fincaram-se na cara, afagaram-se entre as mãos. Pois as bocas estão caladas. Observam um prédio, uma criança, uma tesoura e um juiz. Prever a intenção do ser humano é demasiadamente humano. Há palavras mutiladas que não consigo proferir, escrever. Contesto! E o veredicto final me dói. Os versos sangram, escondem-se dentro de mim. Esquivos como toque oco e lamentoso


E nos jornais: 'Foi muito bonita a hora da sentença', diz Gloria Perez sobre júri do casal Nardoni.

O que eu perdi? [ Fico aqui com os meus botões]

3 comentários:

Iara disse...

Talvez seja bonita, a sentença injusta dada, vai saber né

Paty Morais disse...

31/26 não é pouco. Tanto é muito que você verá que eles não vão cumprir nem 15. O que me impressiona é a conformidade deles. Se uma pessoa inocente é acusada de algo que não fez, ela faz de tudo para retirar a culpa... Não vi isso em momento algum no casal.

Joe disse...

Nunca mais reclamo do meu pai.