sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Mês do des(a)gosto?


E agosto entrava pela minha janela, um clima gelado e começava a contar os 15 dias do mês nos dedos. Andando pelas ruas, encontrei uma [velha] senhora, que me deu um "bom dia" e me disse:

- Estou sentindo cheiro de morte. Mês de agosto, mês do desgosto. Posso sentir daqui.

Respondi:

- Sinto cheiro de mais idade. Estou ficando mais velha. ( Sorrindo)

Enquanto a senhora ía caminhando, um carro rodou e capotou. Fiquei assustada, segui meu caminho enquanto ela também.

Imagem: Trueblood

[ Alguns meses depois, a senhora havia sido atropelada por um carro na saída do supermercado. E por incrível que pareça, era dezembro, e fazia sol.]

4 comentários:

Kalye Duranki disse...

Mas que coisa...

é maneiro ficar mais velha, adquirir experiência..

é muito louca essa coisa de permanecer jovem, criança, ir amadurecendo..

somos a soma de todos os tempos..
acho que tem uma música com esse nome.

enfim, é a loucura de sempre da vida! \o/ rss

:****


(quero ver seu livro pronto, sua enroladora!!!)

Salve Jorge disse...

Há gosto
Pra tudo
E se não ajudo
Logo aludo
Que desgosto
Como está posto
Não é atributo de agosto
Mas sim, da vida...

O Profeta disse...

Ah mas esta calmaria aprisionada
Sobe ao celeste um frio arrepio
Entre o mar e as negras pedras
Vive um coração de onde escorre um rio
Onde moram sereias douradas
Onde os peixes falam de amor
Onde as pedras são felizes
Onde as águas lavam o rancor


Boa fim de semana


Doce beijo

radik disse...

Viagem pela metáfora psicodélica de uma história...
Particularmente, adorei. Pegou direitinho numas boas palavras pra se ler hoje.

Voltei a comentar. E a fazer mais um bocado de coisas.. ;)

Beijos pra poetisa.