terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Cinzas


Para não partir depressa
Ela acendeu um cigarro.
Uma desculpa (!),
Quase charmosa de prendê-lo.
E ele ficava por mais tempo.
Parecia sexta-feira.
A fumaça apontava para uma outra direção.
Para ela.
Pára.
Puro capricho.
O desejo:
De qualquer coisa.
Ou de alguma pessoa.

- Está no final, aceita?
- Claro. Dessa vez, eu juro, será o último trago.

Ela segurava o cigarro ainda inteiro.
Na mão direita.
Mesmo assim ele partiu.
Naquela noite que parecia sexta-feira.
Mas era quarta-feira de cinzas.
-Como todos os outros dias-

Um comentário:

radik disse...

Balancei a cabeça, aqui.
Perplexo.
Que mulher...
Você não escreve, desenha.
Você não conta, os contos são cantados. Pela tua voz.

- Postei!
- Vou ver..

Resumo do prazer em diálogo.

Todos os beijos pra você, e mais um na testa com um carinho à parte.