quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Retrato de uma (1/2) vida


Ela atravessa a rua.
Meretriz das horas.
Prostitui-se sem prazo.

Desfila, única e silenciosa.
Está adiantada.
A vida eterna a conduz.
Desprezando qualquer forma de amor.

Nos lábios, o gloss do inesperado.
Na cintura, a fragrância dos riscos.
Cruza a calçada trajando delicados propósitos.
Provoca seus admiradores e seduz quem deseja pra si.

Ao notar que suas aspirações a seguem de perto.
Destrói-se entre um prazo e outro.
Escapa das horas.
E as horas dela.

Antecipa os serôdios segundos.
Esquece do contrato assinado.
Protela-se naquele quarto escuro.
Frio.
Com o homem estranho da vez.

Atraente, desfila-se descoberta.
Olha pro teto com espelhos...
E sonha passear por entre linhas.
Entre as curvas dos versos.
Ela já passou por aqui.
Algumas vezes.
Seu nome é Maria.

Um comentário:

radik disse...

É que quando você escreve sobre um pseudo-erotismo mais profundo do que se espera pelos temas e escritores, eu fico encantado.
Daí eu te enxergo, literatura completa, vasta e um tanto quanto profissional!

É que eu acho mesmo que você escreve como eu te leio. As tuas palavras expõe teus encantadores dons.
"Bobagenzinha" - ela disse.
E que bobagenzinha - eu completo.

Contemplo todas as que você escreve, pseudo-bobagenzinhas.. rs

Aplausos pra poetisa.