terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Só.




Na falta do que dizer...
Investigo teus sinais sobre meu corpo.
-Mudo-
Dou-te as falas.
Sem que ouças meu nome.
-Em silêncio-
Não desejo-te por essas falas.
Desejo-te. Apenas.

Só.




Um comentário:

radik disse...

Desejo embrulhado em papel molhado.
Suavemente.
Mas desejo absoluto.
Puro. Em sabor forte.
E aroma refrescante.

1 dote pra poetisa!
rs

Beijos..
;)