domingo, 25 de janeiro de 2009

Paradoxo.

Imagem: Drummergirl

Já me acostumei em escrever versos alegres e pensar que a minha existência é infeliz.
Antítese.
A mais justa, depois de tantos anos...


2 comentários:

Daniel Barros disse...

É o "eterno" paradoxo de encontrar beleza na tristeza. Ou transformar a tristeza em coisas belas mesmo.

descobri seu blog por acaso. e gostei.

abs.

radik disse...

"A dor e a felicidade são próximas. Moram na mesma rua e são vizinhas de porta."

Particularmente, prefiro o teu sorriso.