sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Réplica


[Mais uns goles daquele verso, por favor!]

Embriagada.
Pelos teus olhos da cor dos meus.
Castanhos.
Ainda que não fossem de cor clara.
Deitaria, nas nuvens.
Sentaria. E chamaria um anjo.
Que ali dentro faz morada.
Fico de joelhos.
E vejo um mundo de belas palavras.
Esculpidas na auréola.
E encontrar...Um amor.
Com sabor de fruta do quintal.
Jardins bordados à mão.
Flor & anjo feitos ali pra enfeitar.
O céu.

[ Caí das nuvens ]

Este encanto de amar.
Da ternura na troca de vocábulos
Que tatuam meus versos em ti.
Nas tuas asas.
Todos os dias.

- Disse a flor-

Um comentário:

radik disse...

Tá, já é de praxe. Não tem como não dizer. É maravilhoso cada texto que você escreve! Cada palavra, cada nuance.
Injustamente você não tem o prazer de ser leitora das tuas palavras. Iria entender do que digo.

Soa tão gostoso, que quase posso te ouvir pronunciando as palavras. Voz que daria mais ternura ainda.

Assuma de vez, voce tem as palavras mais belas que o mundo já leu!!
Sorte minha poder lê-las a todo instante...

Beijos & Beijos!!